Coca-Cola convida: participe da "Semana Movimento Coletivo" e faça alguém feliz


28/10/2014

De 08 a 14 de novembro, o Sistema Coca-Cola Brasil realiza a Semana Movimento Coletivo, durante a qual parte da renda oriunda da venda de cada produto do portfólio da empresa irá para o Instituto Coca-Cola Brasil, responsável pela gestão dos projetos socioambientais no país. 

Mais de 125 bebidas farão parte da ação, aí incluídos águas, chás, refrigerantes, néctares, energéticos, isotônicos e lácteos. O objetivo é estimular o consumidor a colaborar com iniciativas geradoras de desenvolvimento econômico, social e ambiental. Uma campanha nacional da marca Coca-Cola, assinada pela agência WMcCann, será veiculada em TV aberta, cinemas e internet. 

O filme da campanha para TV e cinema mostra como o engajamento dos consumidores pode impactar a vida de milhares de pessoas que fazem parte da plataforma social da Coca-Cola Brasil, o Coletivo. A campanha na internet, baseada no conceito de “storytelling”, apresenta personagens marcantes que narram suas histórias e contam como tiveram suas vidas transformadas pelo Coletivo Coca-Cola. Entre elas está a de Domingos de Araújo que, aos 50 anos, tem uma bela história de superação. Já foi garimpeiro no Mato Grosso e ainda continua no garimpo – só que, ao invés de ouro, sua busca é pelo lixo.  Começou há sete anos como faxineiro de uma cooperativa de catadores e agora preside a Cooperleste, na Zona Leste de São Paulo, apoiada pelo programa Coletivo Reciclagem da Coca-Cola Brasil.

A Semana Movimento Coletivo é derivada da Semana Otimismo que Transforma que, ao longo de sete anos, incentivou os consumidores e arrecadou mais de R$ 36 milhões para programas sociais da empresa. A expectativa para este ano é alcançar a meta de R$ 6 milhões.

“Aproveitamos a proximidade com o Natal para convidar o consumidor a participar desse movimento, buscando mobilizar a sociedade em torno de uma causa e uma concepção: a de que cada ação individual, por menor que seja, pode valer a pena e fazer a diferença”, diz Claudia Lorenzo, diretora de Negócios Sociais da Coca-Cola Brasil.

O Coletivo Coca-Cola, gerido pelo Instituto Coca-Cola Brasil, promove o empoderamento, especialmente de jovens e mulheres, a partir da valorização da autoestima, e a geração de renda. Hoje, a plataforma está presente em 550 comunidades e, até o final do ano, terá impactado mais de 100 mil pessoas em 22 estados por meio de sete diferentes projetos, como o Coletivo Reciclagem, que apoia cerca de 400 cooperativas.

Segundo Marco Simões, vice-presidente de Comunicação e Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, a iniciativa é pioneira na indústria de bebidas. “A atuação nas áreas de responsabilidade social e ambiental faz parte do DNA da empresa, e só tem crescido ao longo dos anos. Como empresa líder, consideramos que cabe também à Coca-Cola Brasil colocar a sua capacidade de mobilização em prol de questões sociais, e foi por isso que, em 2007, iniciamos esse compromisso de impactar cada vez mais consumidores nessa ação anual”.

Ficha técnica:

Agência: WMcCann
Cliente: Coca-Cola         
Produto: Natal 2014
Nome da campanha: Movimento Coletivo
CCO: Washington Olivetto
Direção de criação: Marcelo Pires
Criação: Claudia Monteiro e Sabrina Villar
Planejamento: Taciana Abreu, Roberto Vianello e Igor Santos
Atendimento: Marcio Borges, Juliana Senna, Patricia Lopes e Mylena Moraes.
Mídia: Viviana Maurman, Carla Dart, Elton Baesso, Paloma Cordeiro, Ione Ribeiro e Maria Luisa Kruel e Thamires Silvestre.
RTV: Regina Knapp, Viviane de Castro e Manuela Fraga.
Produtora do filme:  BossaNovaFilms
Diretor:  Livia Gama
Diretor de Fotografia: Will Etcbehere
Pós-produção:  BossaNovaFilms
Produtora de Som:         Supersonica
Trilha:   Dudu Aram
Diretora Nacional de Operações: Vera Dreckmann
Tráfego de Criação:  Debora Nunes
Aprovação pelo cliente: Javier Meza, Marco Simões, Claudia Lorenzo, Andres Kiger, Florian Haensch, Marcelo Pascoa, Pedro Massa, Simone Murata, Adriano Ciavdar, Patrícia Pieranti, Raquel Cunha, Renata Braz, Vinicius Limoeiro, Ana Carolina Santos e André Moreira




69º Aniversário da Organização das Nações Unidas assinalado em Lisboa e Porto



24/10/2014

Dia ONU squareO sexagésimo-nono aniversário da Organização das Nações Unidas vai ser assinalado com vários eventos em Lisboa e no Porto nos dias 24 e 25 de outubro, respetivamente.

Em Lisboa a comemoração procura dar a conhecer a organização e as suas agências que trabalham em Portugal. Nesta incluem-se uma sessão solene no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a participação do ex-presidente da Assembleia Geral da ONU (1995), Freitas do Amaral, uma exposição de fotografia sobre a ONU na Praça do Município e uma mostra das Agências no átrio dos Paços do Concelho, disponível até às 15 horas. Durante as comemorações será também lançada pela primeira vez em Português a publicação “Factos essenciais sobre as Nações Unidas” (2014), do departamento de Informação pública da ONU.

As actividades são organizadas em conjunto pelo Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental, as agências da ONU residentes em Portugal e a Câmara Municipal de Lisboa, e contam com o apoio do Museu do Fado.

As agências da ONU residentes em Portugal são a Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Internacional para as Migrações (OIM), Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), e o Instituto Inter-regional de Investigação de Crime e Justiça das Nações Unidas (UNICRI). Recentemente, a Universidade das Nações Unidas (UNU) instalou uma
Unidade Operacional em Governação Eletrónica (UNU-EGOV) acolhida pela Universidade do Minho, em Guimarães.

No Porto, o aniversário da ONU é assinalado no dia 25 de outubro com uma conferência sobre “Sustentabilidade Alimentar”, organizada em conjunto pelo UNRIC pela Católica Porto Alumni - Biotecnologia e a Universidade Católica do Porto.

Um evento em torno do conceito de Sustentabilidade Alimentar que se refere à implementação de padrões sustentáveis ​​de consumo e produção de alimentos, respeitando a capacidade dos ecossistemas naturais. A conferência contará com intervenções do representante da FAO em Portugal, Helder Muteia, representantes da sociedade civil, do sector da administração e do sector privado.

Dia 24 de outubro, Dia das Nações Unidas, assinala-se o aniversário da entrada em vigor da Carta das Nações Unidas (1945). Este dia tem sido celebrado desde 1948 mas só em 1971 a Assembleia Geral das Nações Unidas recomendou aos Estados-Membros que celebrem este dia.



Lagoa encanta dirigentes estrangeiros, apesar da presença de algas

24/10/2014

Em visita ao Rio, representantes de 13 comitês nacionais, entre eles ex-atletas do remo e canoagem, elogiam beleza da cidade, mas se preocupam com trânsito caótico

Garcia, de Portugal, e Visacki, da Sérvia, elogiaram a 
Lagoa Rodrigo de Freitas (Foto: Leonardo Filipo)
Representantes de comitês olímpicos nacionais de 13 países encerraram nesta quarta-feira uma visita aos locais de competição dos Jogos Rio 2016. Em dois dias, apontaram pontos positivos, como a atmosfera acolhedora e a beleza da cidade, e negativos, como o engarrafamento das vias. Para dois dirigentes, um local foi especial: a Lagoa Rodrigo de Freitas, que receberá as provas de remo, canoagem de velocidade e paracanoagem. Djordje Visacki, secretário geral da delegação da Sérvia, foi campeão mundial de remo e disputou os Jogos de Sydney 2000. José Luis Garcia é chefe de missão dos atletas de Portugal e representou o seu país na canoagem de velocidade dos Jogos de Seul 1988. Ambos elogiaram a localização e a beleza da Lagoa, mas notaram a presença de algas na água. 

- Acho que as pessoas precisam ver a Lagoa como está agora e como ficará depois dos Jogos. Ainda há um foco de algas na água, que mata os peixes, mas depois das Olimpíadas vocês vão ver como vai ficar – disse Visacki, que disse ter ficado arrepiado com o visual – É um dos lugares mais lindos que conheci. Gostaria de ser atleta de novo para competir aqui, remando com  a vista do Corcovado.

Assim como o sérvio, o português José Luis Garcia ressaltou a presença de algas. Por outro lado, os dois elogiaram o fato de o remo e a canoagem serem disputadas dentro da cidade. 

- Ano que vem os Jogos Europeus, espécie de Jogos Pan-americanos da Europa, serão disputados pela primeira vez e a canoagem ficará a 280km da cidade sede (Baku, no Azerbaijão). Aqui no Rio, não. Os canoístas vão ficar bem perto de onde serão as provas.

Perspectiva do Estádio de Remo na Lagoa Rodrigo de Freitas, usada no 
dossiê de candidatura (Foto: Divulgação)
A comitiva também conheceu a perspectiva do estádio de remo da Lagoa, usada no dossiê de candidatura. Como o espelho d´água é tombado e há a possibilidade de danos à biodiversidade do local, o Ministério Público está investigando a possibilidade da construção de uma estrutura temporária de 250 metros aonde seria levantadas arquibancadas com capacidade para 10 mil pessoas em frente à linha de chegada das provas. O projeto ainda não está pronto, por isso ainda não se sabe se no caso da construção da estrutura ela seria fixada por meio de estacas ou ancorada, para evitar danos ao meio ambiente.

Fonte: Globo Esporte


Horário de verão… Vamos economizar?

23/10/2014

A temporada 2014/2015 do horário de verão começou no dia 19 de outubro de 2014 e terminará à zero hora do dia 22 de fevereiro de 2015. Será adotado em dez estados brasileiros e no Distrito Federal, que adiantaram os relógios em uma hora.

O horário de verão tem o objetivo de reduzir o consumo de energia, já que se torna possível aproveitar melhor as horas de sol. As alterações são significativas na economia e afetam também o lado social da população.

Outra vantagem é o aumento da segurança do sistema elétrico e maior flexibilidade para a realização de manutenções, além de redução da pressão sobre o meio ambiente e nas tarifas cobradas pelo serviço. O horário de verão foi aplicado no Brasil pela primeira vez no verão de 1931/1932.

A medida é adotada sempre nesta época do ano, quando os dias são mais longos por causa da posição da Terra em relação ao Sol. No fim do ano, há também um aumento na demanda por energia, resultante do calor e do crescimento da produção industrial devido ao Natal.

Mas para que seja eficaz, é importante que cada um faça a sua parte e ajude a preservar este recurso tão fundamental que é a eletricidade. Adote medidas simples e altere um pouco os hábitos de consumo e confira a diferença!

Alterações no relógio biológico

Em condições normais, os diversos ritmos do nosso organismo estão sincronizados entre si, assim como claro/escuro ambiental. Com a mudança de fusos horários, o corpo tende a adaptar seus ritmos ao novo horário, causando uma desordem temporal interna, que após alguns dias tende a ser resolvida.

Durante essa fase, o indivíduo pode experimentar sensações como mal-estar, dificuldade para dormir no horário habitual, sonolência diurna e até mesmo alterações de humor e de hábitos alimentares.

Origens…

O Horário de Verão surgiu em 1784 nos Estados Unidos, criado por Benjamin Franklin, antes mesmo de se existir a luz elétrica! Mas sua ideia não sensibilizou o governo americano e o primeiro país a adotar oficialmente o horário de verão foi a Alemanha, durante a Primeira Guerra Mundial.

No Brasil foi instituído pela primeira em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e voltou a ser aplicado nos dois anos seguintes, retornando apenas dezesseis anos depois (1949), quando mais quatro edições foram realizadas. Nos anos 60 a medida vigorou por cinco anos seguidos (de 1963 a 1968) e desde 1985 vem sendo adotada sem interrupções. Definido pelo governo federal, o horário de verão começa em outubro ou no início de novembro e termina em fevereiro. Neste período, os relógios são adiantados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.




Municípios adotam racionamento ou rodízio para enfrentar falta de água em SP

O longo período de estiagem atingiu o Sistema Cantareira e numerosos 
mananciais do estado Sabesp/Divulgação

19/10/2014

Cidades do interior de São Paulo estão adotando racionamento ou rodízio de água. A causa é o longo período de estiagem que atinge o estado desde o início do ano. Cada prefeitura estuda a melhor forma para enfrentar o problema. 

Um dos municípios mais atingidos pela falta de água, Itu enfrenta um racionamento oficial desde fevereiro. A estiagem na cidade já provocou diversos protestos de moradores e mais de mil reclamações da população ao Ministério Público. 

Na quinta-feira (16), por exemplo, o município de Barretos passou a adotar o racionamento de água de forma oficial. Segundo a prefeitura, a medida foi tomada, após a constatação de que o Ribeirão Pitangueiras, responsável por 60% da água consumida na cidade, registrou grande queda no volume, com a profundidade baixando 60 centímetros e atingindo um 1,2 metro. Com isso, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) da cidade decidiu aplicar multa de R$ 264,6 nos moradores flagrados lavando calçados ou veículos. Em caso de reincidência, o valor será dobrado.

Na capital paulista, muitos moradores reclamam de falta de água em diversos bairros, mas a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) não admite o racionamento. Para diminuir o consumo, desde fevereiro a companhia concede descontos para consumidores do Sistema Cantareira que economizarem água.

Em Guarulhos, o rodízio começou dia 14 de março. Conforme o Saae da cidade, o consumo é liberado um dia sim e outro não. Dados do Saae indicam que aproximadamente 13%  da água disponibilizada na cidade são de sistemas próprios, que utilizam captações superficiais e subterrâneas [poços profundos]. Do restante operado pela Sabesp, 62% saem do Sistema Cantareira [um dos mais prejudicados com a estiagem] e 25% do Sistema Alto Tietê. Para enfrentar a crise, o Saae também decidiu oferecer descontos para consumidores que reduzirem o consumo.

O rodízio em Bauru é operado, desde quarta-feira (15), de maneira diferenciada. A cada 24 horas [das 6h as 6h], o abastecimento é alternado entre as regiões do centro/zona sul e da Vila Falcão/Bela Vista. Assim, uma área fica sem água para que outra ser abastecida. Segundo a prefeitura, a combinação de escassez de chuvas e altas temperaturas, que aumenta o consumo de água, provocou a redução do nível do Rio Batalha. A medição do manancial passou dos 2,25 metros, registrados na última sexta-feira (10), para 1,27 metro, na tarde de segunda-feira (13). De acordo com a prefetura, a situação, que afeta 38% da população da cidade [o restante é abastecido com água de poços], seguirá por tempo indeterminado, até o retorno do período de chuvas.

Em Mauá, a prefeitura criou o Projeto Revezamento de Abastecimento, que ocorre de segunda à sexta-feira e envolve toda a cidade. A cada quatro dias com água, o consumidor enfrenta um dia sem. O projeto foi adotado no dia 1º de outubro e passará a funcionar na próxima segunda-feira (20).

A prefeitura de Cruzeiro implantou rodízio programado desde a última terça-feira (14), com interrupção do serviço por 24 horas, em dias alternados. Na cidade, o rodízio também só será suspenso com a volta das chuvas.

Em Mirassol, o Rio São José dos Dourados, que abastece mais de 30% da cidade, está praticamente sem água. Enfrentando problemas técnicos também no poço Guarani, que dá suporte à captação no rio, a região central da cidade entrou em estado de atenção. Com isso, cerca de 40% da população enfrentará problemas com a falta de água até a semana que vem. Enquanto isso, a prefeitura deve oferecer caminhões-pipa para abastecer locais de emergência, entre eles escolas e postos de saúde.

Em Americana, o rodízio, sem previsão de término, foi anunciado na terça-feira (14), quando se confirmou o baixo nível do Rio Piracicaba, que abastece a cidade. 

Cidade próxima de Itu, Salto enfrenta reduções noturnas no abastecimento.  Principal fonte de água do município, o Ribeirão Pirahy está com 20% do nível de fornecimento. A capacidade do Ribeirão Buru e Ribeirão Ingá (Lagoa da Conceição), chega, respectivamente, a 30% e 50%. O período de contenção começou na segunda-feira (13) e ocorrerá todos os dias, entre 21h e 6h.

Em Araras, desde quinta-feira (16), o racionamento inclui todos os bairros. O fornecimento de água é interrompido entre 6h e 18h. Segundo a prefeitura, sem a redução do consumo, as atuais reservas de água bruta de Araras seriam suficientes apenas para 50 ou 60 dias.

A cidade de Casa Branca também adotou racionamento, estabelecendo cronograma de abastecimento e corte de água até o fim de outubro. A ideia é que a população fique 12 horas seguidas com água e um dia inteiro sem água.

O município de São Sebastião da Grama decretou estado de alerta e decidiu aplicar multas de R$ 291,4 no consumidor que exceder  no consumo de água. A represa que abastece a cidade tem somente 20% de sua capacidade. A prefeitura estuda a implantação do rodízio..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...