PARCEIROS VERDES


O blog NATUREZA E PAZ busca difundir entre os canais de comunicações, o tema Meio Ambiente.

Por isso convida todos os blogueiros e interessados com a Natureza do nosso Planeta Terra, que no dia 22 de abril, comemora o seu dia, a fazer parte dessa ideia de reunir os afins juntos à internet em comum pensamento: proteger o meio ambiente do nosso planeta.

Como?

) Envie o seu banner e URL para o e-mail webnasc@gmail.com, que constará no "Parceiros Verdes" do blog.

) Copie a imagem abaixo e coloque no seu blog/site junto com a URL:  http://naturezaepaz.blogspot.com.br/



Agradeço a colaboração e a preocupação de todos com o Meio Ambiente e fiquem à vontade para comentários sobre a parceria.

Carlos Nascimento





PET - Poli (Tereftalato de Etileno)

22/04/2014

O PET - Poli (Tereftalato de Etileno) - é um poliéster, polímero termoplástico.

Simplificando, PET é o melhor e mais resistente plástico para fabricação de garrafas e embalagens para refrigerantes, águas, sucos, óleos comestíveis, medicamentos, cosméticos, produtos de higiene e limpeza, destilados, isotônicos, cervejas, entre vários outros como embalagens termoformadas, chapas e cabos para escova de dente.

O PET proporciona alta resistência mecânica (impacto) e química, além de ter excelente barreira para gases e odores. Devido as características já citadas e o peso muito menor que das embalagens tradicionais, o PET mostrou ser o recipiente ideal para a indústria de bebidas em todo o mundo, reduzindo custos de transporte e produção. Por tudo isso, oferece ao consumidor um produto substancialmente mais barato, seguro e moderno. As embalagens Pet são 100% recicláveis e a sua composição química não libera nenhum produto tóxico.

História da Resina PET

O Poli (Tereftalato de Etileno), ou, simplesmente PET, é um polímero termoplástico da família dos poliésteres. Embora seja muito conhecidoh oje através das garrafas plásticas, o material iniciou sua trajetória na indústria têxtil.


A primeira amostra da resina foi desenvolvida pelos ingleses Whinfield e Dickson, em 1941. Após a Segunda Grande Guerra, o desabastecimento afetou - também - a Indústria têxtil da época, ainda baseada em fibras como algodão, linho, lã, entre outras.  Assim, as pesquisas que levaramà produção em larga escala do poliéster começaram logo após a Segunda Grande Guerra nos EUA e Europa e baseavam-se nas aplicações têxteis. A idéia era criar alternativas viáveis para as fibras até então usadas, cujos campos estavam destruídos pela guerra. O poliéster apresentou-se como um excelente substituto para o algodão – função que cumpre muito bem até hoje, inclusive a partir das garrafas recicladas.

O PET continuou a ser desenvolvido e novas aplicações foram surgindo. Sua resistência mecânica foi comprovada quando o poliéster passou a ser utilizado na indústria de pneus, em 1962.

As primeiras embalagens de PET surgiram nos Estados Unidos – e logo após na Europa no início dos anos 70.
  
O PET chegou ao Brasil em 1988 e seguiu uma trajetória semelhante ao resto do mundo, sendo utilizado primeiramente na indústria têxtil. Apenas a partir de 1993 passou a ter forte expressão no mercado de embalagens, notadamente para os refrigerantes. Atualmente o PET está presente nos mais diversos produtos.

Fonte: ABIPET



Água de quiabo e suco de maxixe podem ajudar contra diabetes

22/04/2014

O diabetes é uma doença muitas vezes silenciosa que atinge milhões de pessoas no mundo inteiro.

Só para se ter ideia da mortalidade da doença, no Brasil ela mata quatro vezes mais que a aids, segundo dados do Ministério da Saúde.

Se você tem a doença, é muito importante a orientação de um bom médico.

Mas não menospreze o poder da medicina caseira.

Estas duas receitas caseiras que ensinaremos adiante, por exemplo, são poderosíssimas.

Falemos de cada uma delas.

A primeira: a água de quiabo.



O quiabo (Abelmoschus esculentus) é amado ou odiado por muitos por causa da característica de ser bem "pegajoso".

Mas é justamente graças à sua "baba" que o quiabo tem muitas propriedades medicinais: é bom para a visão, trata úlcera estomacal, atua contra a asma, normaliza o colesterol, evita o câncer de cólon, combate a prisão de ventre.

Outro grande benefício do quiabo é o controle do diabetes e do colesterol.

Sem exagero, podemos dizer que o quiabo é o melhor remédio natural para o diabetes.

E o segredo é a mucilagem liberada pelo quiabo, conhecida popularmente como "baba".

Nela há uma grande concentração de fibras que ajudam a baixar os níveis de glicose no sangue a partir do intestino. 

Em estudo de 2011 publicado no Journal of Pharmacy and Bio-allied Science, os pesquisadores confirmaram que o quiabo era uma potencial fonte alternativa para o tratamento do diabetes, pois reduziu o nível de açúcar no sangue de forma significativa em animais testados em laboratório.

Para fazer a água de quiabo, você vai precisar de 4 quiabos  e de 200 ml de água. 

Corte os quatro quiabos no meio, descartando as pontas, e ponha-os num copo d'água.

Tampe o copo.

Deixe de molho durante a noite.

Na manhã seguinte, retire os quiabos e beba a água.

De preferência, tome essa água em jejum e espere meia hora para comer ou beber.

A segunda receita é o suco de maxixe.


O maxixe (Cucumis anguria L.) é rico em zinco, mineral importante para o bom funcionamento de todos os tecidos do corpo e para o metabolismo do açúcar e de proteínas.

Também é fonte de cálcio, fósforo, ferro, sódio, magnésio, vitamina C, vitaminas do complexo B e betacaroteno (pró-vitamina A).

Por ser rico em zinco, auxilia no combate e na prevenção dos distúrbios da próstata; diminui o depósito do mau colesterol; elimina manchas brancas nas unhas e ajuda na cicatrização de ferimentos diversos.

É muito útil nos casos de cálculo renal, hemorroidas, inflamação dos rins e vômito.

Como no cozimento quase todo o zinco se perde, é bom comer o maxixe cru, em salada e em suco (sugestões: maçã, cenoura e maxixe; maçã e maxixe; maçã, salsão e maxixe; laranja e maxixe).

O suco de maxixe é um santo remédio para quem tem diabetes.

Faça o teste e comprove.

A receita e o tratamento são muito simples.

Raspe um maxixe e corte-o ao meio.

Adicione 1 copo d'água e bata tudo no liquidificador por cinco minutos.

Coe e beba.

Tome esse suco duas vezes por dia: em jejum e 30 minutos após o jantar. 

Fonte: R7 Saúde


Lua sangrenta é vista pelo mundo

15/04/2014

A Lua, a Terra e o Sol ficaram em perfeito alinhamento; com a incidência da luz Sol, o satélite pode ser observado em tons avermelhados

Amantes da astronomia tiveram a chance de presenciar nesta madrugada um eclipse lunar total, fenômeno que não era visto há quase três anos.

A Lua, a Terra e o Sol ficaram em perfeito alinhamento, cobrindo a Lua na sombra da Terra, de cor âmbar.

Nesse momento, com a incidência da luz Sol, o satélite pode ser observado com tons avermelhados, o que deu ao fenômeno o nome “lua de sangue” ou “lua sangrenta”.

No Brasil, o eclipse pôde ser visto a partir das 3h, por cerca de 78 minutos, tendo seu pico às 4h45. O fenômeno foi mais perceptível em localidade da região Oeste.

O satélite ficou localizada entre a estrela Espiga, a mais brilhante da Constelação de Virgem, e o planeta Marte.

Este é primeiro de uma série de quatro eclipses lunares que deve ocorrer de seis em seis meses. A tétrade, como é chamada essa série pelos astrônomos, se repetirá apenas sete vezes no século XXI. O próximo eclipse total está previsto para o dia 8 de outubro.

Confira as fotos:

Lua é vista durante eclipse em Miami, na Flórida (EUA) - Foto: Joe Raedle/Getty Images

A lua é vista perto de seu eclipse total em Burbank, na Califórnia - Foto: Kevin Winter/Getty Images

Lua ganha tons vermelhos vista de Buenos Aires, na Argentina - Foto: Reuters/Marcos Brindicc

O eclipse parcial é visto em cima de uma antena sobre o arranha-céu de Tóquio, 
no Japão - Foto: Reuters/Issei Kato

A lua sangrenta é vista em Brasília - Foto: Reuters/Ueslei Marcelino
Fonte: EXAME.com


Coca-Cola realiza em Porto Alegre treinamento para gestão de resíduos no Estádio Beira-Rio na Copa do Mundo da FIFA™

Foto: Luiz Munhoz

08/04/2014

Porto Alegre, uma das sedes da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™, recebe o treinamento que vai beneficiar 70 catadores de materiais recicláveis.

Profissionais trabalharão no gerenciamento dos resíduos sólidos dos estádios da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™.

Todo lixo sólido produzido no evento da FIFA será reciclado.

A Coca-Cola Brasil, em parceria com a FIFA, será a responsável pela ação de gerenciamento de resíduos sólidos da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™. A ação, que teve como teste a Copa das Confederações da FIFA 2013, quando 70 toneladas de material foram destinadas à indústria de transformação, será realizada nas 12 cidades-sede do megaevento. Para garantir a excelência do projeto, a empresa irá treinar toda a equipe de catadores que trabalhará durante os jogos, realizando o Treinamento para Gestão de Resíduos nos Estádios da Copa do Mundo da FIFA™. Ao todo, serão 840 catadores capacitados. Porto Alegre recebeu o treinamento, nesta terça-feira, dia 08, no Novo Hotel Três Figueiras.

Durante a Copa do Mundo todo o lixo sólido produzido nos estádios será coletado e encaminhado à reciclagem nas cooperativas apoiadas pela Coca-Cola Brasil participantes do projeto Coletivo Reciclagem, que oferece suporte para a gestão e capacitação em 300 cooperativas em 22 estados. Em Porto Alegre, todo o material coletado no Beira Rio será destinado a Rede de Catadores de Materiais Recicláveis de Porto Alegre e Região (CATAPOA). A estimativa é que sejam produzidas cinco toneladas de resíduos passíveis de reciclagem a cada partida da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™. 

Foto: Luiz Munhoz

O curso teve uma carga horária de 4h e nas aulas os catadores aprenderam como manusear os equipamentos que serão utilizados durante o Mundial. Eles foram treinados também sobre a dinâmica de trabalho dentro do estádio, além de terem recebido informações sobre segurança e questões comportamentais. 

Victor Bicca - Diretor de Assuntos Governamentais, Comunicação e Sustentabilidade 
da Coca-Cola Brasil para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™ 
Foto: Carlos Nascimento

“Avaliamos a experiência realizada na Copa das Confederações de forma bastante positiva e, em parceria com a FIFA, resolvemos levar a ação para as 12 cidades-sede. A participação dos catadores foi fundamental para o resultado. Pensando na Copa do Mundo, decidimos ir além e contribuir também para o crescimento profissional e pessoal desse grupo. Por isso, criamos o Treinamento para Gestão de Resíduos nos Estádios da Copa do Mundo da FIFA™”, explica Victor Bicca, Diretor de Assuntos Governamentais, Comunicação e Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™.

A iniciativa da Coca-Cola Brasil tem o objetivo de estimular a expansão da coleta seletiva de lixo urbano nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014™. A reciclagem de resíduos está prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída em 2010, que cria normas para a coleta, o destino final e o tratamento de lixo urbano e industrial, entre outros.

Todas as ações da Coca-Cola durante a Copa das Confederações da FIFA e da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™ serão baseadas nos três legados que a companhia pretende deixar para o País com o evento: reciclagem, comunidade e vida ativa.

Legados para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™

Comunidade

Presente em cerca de 150 comunidades de 13 estados brasileiros e no Distrito Federal, o Projeto Coletivo Coca-Cola terá um protagonismo na Copa do Mundo FIFA™. A companhia planeja capacitar cerca de 115 mil jovens até o fim de 2014, quando estarão preparados para atuar no mercado de trabalho. A Coca-Cola Brasil pretende utilizar parte desta mão de obra durante o evento.

Reciclagem

Pioneira em reciclagem no Brasil, a Coca-Cola apoia mais de 300 cooperativas através de incentivos para a coleta seletiva, como programas de gestão e equipamentos. Durante a Copa das Confederações da FIFA 2013, a Coca-Cola, em parceria com a FIFA, foi responsável pelo gerenciamento de todo o resíduo sólido produzido nos seis estádios. O material coletado foi encaminhado à reciclagem nas cooperativas apoiadas pela Coca-Cola Brasil, por meio do projeto Coletivo Reciclagem. Após a realização das 16 partidas da competição, 70 toneladas de resíduos sólidos foram enviadas para reciclagem. A iniciativa será ampliada para as 12 cidades-sede do Mundial de 2014.

Vida Ativa

O conceito de vida ativa tem como carro-chefe a Copa Coca-Cola, que desde 2011 vem estimulando a prática de exercício físicos em diversas comunidades de todo país através de um torneio de futebol que reúne mais de 10 mil jovens divididos em mais de 500 equipes. Os campeões de 2012 tiveram a honra de atuarem como os gandulas da Copa das Confederações Brasil 2013. Para 2014, a Coca-Cola Brasil vai novamente oferecer treinamento específico para todos os 750 meninos e meninas vencedores da Copa Coca-Cola 2013 estejam aptos a atuarem como gandulas na principal competição da FIFA.

A Coca-Cola e a Copa do Mundo da FIFA™

A Coca-Cola Company tornou-se parceira oficial da Copa do Mundo da FIFA™ em 1978. No entanto, a presença da marca Coca-Cola em Copas do Mundo da FIFA™ acontece desde 1950 com anúncios nos estádios do evento. Desde então, a marca sempre esteve presente nos estádios de todas as edições da competição. A empresa também patrocina o FIFA Trophy Tour™ desde 2006, oferecendo a consumidores no mundo inteiro a oportunidade de ver ao vivo a taça mais cobiçada do mundo.

Em novembro de 2005, a FIFA e a Coca-Cola Company prolongaram a antiga parceira por mais 16 anos, de 2007 a 2022. O compromisso renovado pela Coca-Cola no setor de bebidas não-alcoólicas compreende não só investimento em dinheiro como também produtos e serviços de apoio à extensa gama de torneios organizados pela FIFA ao redor do mundo, entre eles a Copa do Mundo da FIFATM, Copa do Mundo Feminina da FIFA, Copa do Mundo Sub-20 da FIFA, Copa do Mundo Sub-17 da FIFA, Copa do Mundo de Beach Soccer da FIFA, Copa do Mundo de Clubes da FIFA, FIFA Interactive World Cup, Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA, Copa do Mundo de Futsal da FIFA e Copa das Confederações da FIFA. 

A Coca-Cola continua patrocinando também o popular Ranking Mundial da FIFA / Coca-Cola de seleções masculinas e o Ranking Mundial Feminino da FIFA. 


Belo Horizonte é eleita a Capital Nacional da Hora do Planeta

BH foi uma das três finalistas brasileiras do Desafio das Cidades
© Divulgação/WWF-Brasil

08/04/2014

Belo Horizonte tem motivos para comemorar: foi eleita por um júri internacional a Capital Brasileira da Hora do Planeta, evento organizado todos os anos pelo WWF em diversos de países para conscientizar a sociedade em relação a suas consequências para o aquecimento global. A eleição ocorreu em parceria com o ICLEI (Governos Locais pela Sustentabilidade) por meio da iniciativa "Hora do Planeta: Desafio das Cidades", que, em seu terceiro ano, elegeu capitais de 14 países no trabalho rumo ao desenvolvimento sustentável. 

A capital de Minas Gerais concorreu em âmbito nacional com Rio de Janeiro e São Paulo, os outros dois finalistas do Brasil – que integrou pela primeira vez o Desafio das Cidades. Porto Alegre (RS), Manaus (AM), Fortaleza (CE), Betim (MG) e Sorocaba (SP) também participaram. Iniciativas das oito cidades foram reportadas pelos governos locais em uma plataforma de registro de carbono para cidades (o Carbonn), reconhecida internacionalmente e administrada pelo ICLEI. Foram expostos dados relevantes, planos e ações em andamento para a transição a um clima mais equilibrado e um futuro possível para o planeta. 

Prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (esquerda), recebe o prêmio de Capital Nacional da Hora do Planeta de 2014 do CEO do WWF-Canadá, David Miller, durante a cerimônia oficial em Vancouver 
© Victoria Simansjah / WWF-Canada

De acordo com o parecer técnico do júri internacional, composto por especialistas, Belo Horizonte "apresenta uma estratégia de baixo carbono integrada, guiada por uma visão forte e construída através de ações concretas". Entre os exemplos citados para a vitória da capital mineira estão a Usina Solar Fotovoltaica instalada na cobertura do Mineirão, um dos estádios da Copa do Mundo Fifa 2014, e o fato da energia solar térmica ter se desenvolvido de forma adequada na cidade. Belo Horizonte é considerada referência na aplicação do coletor solar para aquecimento de água e em números de edificações multifamiliares existentes com a aplicação da tecnologia – são atualmente, aproximadamente, 3.000 edifícios residenciais.

Outro ponto destacado é o Programa de Eficiência Energética da CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais), no qual uma parte do lucro da empresa é destinada para pesquisa e desenvolvimento. Para finalizar, os julgadores afirmam que a cidade "demonstra grande liderança local em ações climáticas dentro de uma economia emergente". 

Foi a primeira vez que o Brasil participou da disputa. Em busca práticas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas, o Desafio das Cidades avaliou os investimentos na reestruturação das matrizes energéticas para fontes limpas. "Com o Desafio das Cidades vamos além da Hora do Planeta, com o objetivo de estimular a criação e disseminação de melhores práticas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas por meio de planos ambiciosos, inspiradores e factíveis para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono", afirma a secretária-geral do WWF-Brasil, Maria Cecília Wey de Brito.

"É essencial que as cidades encarem o desafio imposto pelas mudanças climáticas, mas também aproveitem a oportunidade para se tornarem cidades inovadoras e inteligentes, adotando padrões de desenvolvimento urbano de baixo carbono. A primeira edição do Desafio no Brasil nos mostra que há excelentes exemplos de cidades desempenhando papel de liderança, medindo suas emissões e construindo planos abrangentes para enfrentar as mudanças climáticas, ao tornarem públicas suas informações e ações por meio do Registro Climático de Cidades Carbonn (cCCR), inspirando assim seus pares a seguir o mesmo caminho", comenta Florence Laloe, Secretária Executiva do ICLEI – Secretariado para América do Sul.

Hora do Planeta

O WWF-Brasil promove a Hora do Planeta no país pelo sexto ano consecutivo. Em 2014, o evento aconteceu entre 20h30 e 21h30 do dia 29/03. Saiba mais sobre o evento no site oficial da Hora do Planeta.

Fonte: WWF Brasil


Relatório da ONU vai apontar políticas para reduzir aquecimento

08/04/2014

Cientistas vão se reunir na Alemanha para definir texto.
É a terceira e última parte de novo relatório climático

As potências internacionais estão correndo contra o tempo para reduzir o uso de combustíveis fósseis altamente poluentes e ficar abaixo dos limites acertados para evitar o aquecimento global, aponta um estudo preliminar da Organização das Nações Unidas (ONU) a ser aprovado nesta semana.

O documento preliminar, visto pela Reuters, destaca maneiras de cortar emissões e estimular o uso de energia de baixo carbono.

Autoridades governamentais e cientistas especialistas no estudo do clima irão reunir-se em Berlim entre os dias 7 a 12 deste mês para revisar o estudo de 29 páginas, que também estima que a mudança para o uso de energia de baixo carbono poderia custar algo entre 2% e 6% da produção mundial em 2050.

O documento afirma que as nações terão de impor drásticas restrições às emissões de gases do efeito estufa para manter a promessa acertada entre quase 200 países em 2010 para limitar o aquecimento global a menos de 2 graus Celsius acima da era pré-industrial.

As temperaturas já aumentaram cerca de 0,8 grau desde 1990 e devem atingir o teto dos 2 graus Celsius nas próximas décadas, caso as tendências atuais sejam mantidas, diz o relatório.

Tais aumentos na temperatura podem elevar os riscos para a produção de alimentos e obtenção de água, e podem provocar danos irreversíveis, como o derretimento de gelo na Groenlândia, diz o estudo da ONU.



Fonte: G1 Natureza


Angola: Reciclagem de lixo segue modelo brasileiro

País implementará plano para resíduos sólidos
[ Paulo Mulaza/JA Imagens ]

08/04/2014

Novas Tecnologias Ambientais implanta transformação de resíduos sólidos.

Angola vai realizar um estudo para adotar, nos próximos anos, o modelo de recolha, tratamento e reciclagem de resíduos sólidos utilizados em algumas regiões brasileiras. O anúncio foi feito neste domingo, 6, pelo secretário de Estado das Novas Tecnologias Ambientais e Qualidade Ambiental, Syanga Abílio.

Segundo informações divulgadas pelo Jornal de Angola, o governante fez o anúncio, no Rio de Janeiro, Brasil, depois de uma visita ao Pólo de Reciclagem de Gramacho, um centro de transformação de lixo inaugurado no início deste ano numa área antes ocupada por uma lixeira a céu aberto. Syanga Abílio, que terminou neste domingo uma visita oficial ao país sul-americano, acredita que é possível usar o modelo em Angola, por intermédio do Plano Nacional Estratégico de Resíduos Urbanos (PESGRU) e do Instituto Regulador de Resíduos, em fase de criação.

Angola, referiu o governante, com aprovação do decreto presidencial da gestão de resíduos e a criação do plano nacional estratégico de resíduos urbanos, começa a criar condições para iniciar o sistema de seleção de lixos e de sua reciclagem. O secretário de Estado, no âmbito da campanha promocional denominada “Ambiente-Angola 2014”, que se realiza de 5 a 8 de Junho, disse que se trata do modelo brasileiro que implica tecnologias ambientais e que, se for desenvolvido em Angola, trará vários benefícios. “O projeto é muito interessante por se enquadrar na luta contra a pobreza e na criação de emprego”, afirmou o secretário.

Fonte: Rede Angola


Foto: Carlos Nascimento / Nat Paz

Hoje, domingo, dia 6 de abril de 2014, eu folhei o jornal Zero Hora e tinha uma foto que chamou a atenção, então lembrei de um dia em que estive passeando num belo domingo no Parque Moinhos de Vento, em Porto Alegre, e que foi possível visualizar esta imagem... que ficará nas minhas recordações.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...