Posto de gasolina acolhe animais de rua durante o frio no RS

Um posto de gasolina conquistou moradores da região ao acolher os 
cães que precisavam de ajuda (Foto: Cinthia Cramer)

24/07/2014

Funcionários dão abrigo, cobertas e ração para os cães

Nas últimas semanas, fez bastante frio em diversas partes do país. Porém, o frio fica ainda pior para quem não tem como se agasalhar. Assim como os moradores de rua, animais abandonados e desaparecidos também sofrem bastante com os dias gelados. Eles costumam procurar abrigo em comércios e casas, mas nem sempre são bem recebidos.

No entanto, encontraram um lugar quentinho em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Um posto de gasolina conquistou moradores da região ao acolher os cães que precisavam de ajuda.

Funcionários improvisaram bacias e cobertores para receber os hóspedes durante o inverno, e ainda oferecem água e ração. A comerciante Cinthia Cramer flagrou a boa ação ao abastecer o carro no local. Sua postagem no Facebook já tem quase quatro mil compartilhamentos.

“Fiquei olhando admirada, mas só tinha visto um cão. Resolvi descer para ver de perto. Foi quando me deparei com os outros todos acomodados em suas devidas bacias. Achei o máximo. Me emocionei com a criatividade e fotografei. Eles nem me deram bola, continuaram no aconchego. São uns queridos”, contou.

Outros moradores da região também visitaram o local. Avisam que os funcionários estão precisando de ração para alimentar os animais. Esperamos que mais pessoas se sensibilizem e apoiem a iniciativa.

Cada animal tem sua cama, uma coberta e ração (Foto: Cinthia Cramer)

Fonte: Globo Rural


Pesquisa premiada nos EUA

Marcelle Soares-Santos: contribuição destacada - Foto: FNAL

24/07/2014

A astrônoma brasileira Marcelle Soares-Santos recebeu o Prêmio Alvin Tollestrup 2014, concedido pela Associação de Universidades de Pesquisa dos Estados Unidos a trabalhos de destaque feitos por pós-doutorandos no Fermi National Accelerator Laboratory (Fermilab), laboratório norte-americano de física de partículas de altas energias. Doutora em astronomia pela Universidade de São Paulo, Marcelle está no Fermilab desde 2010 e foi reconhecida por suas contribuições ao estudo da energia escura. Sua pesquisa de pós-doutorado se concentra no projeto Dark Energy Survey (DES), cujo objetivo é observar 300 milhões de galáxias e usá-las para determinar a evolução da expansão do Universo. “Eu contribuí para a construção e instalação da câmera do DES, a DECam”, diz Marcelle, referindo-se à câmera, peça-chave do projeto, em funcionamento desde 2012 no telescópio Blanco, localizado no Cerro Tololo Inter-American Observatory, no Chile. Sua pesquisa também busca contribuir para esclarecer a questão da energia escura, forma hipotética de energia que estaria distribuída por todo o espaço. “Desenvolvi um método para detectar aglomerados de galáxias e uso esse método para estudo da energia escura”, explica. “Marcelle trabalha com dados para desenvolver novas maneiras de entender a formação do universo”, disse Brenna Flaugher, chefe do departamento de astrofísica do Fermilab.

Fonte: FAPESP


Rio terá maior aquário marinho da América do Sul no fim de 2015

Maquete mostra como ficará o AquaRio em 2015 (Foto: Divulgação/ AquaRio)

24/07/2014

Público poderá mergulhar com tubarões e dormir 'dentro' do aquário.
Ingressos serão cobrados no valor de R$ 40, segundo diretor do projeto.

O complexo marinho AquaRio, que está em construção há um ano na Zona Portuária, será aberto aos moradores do Rio no fim de 2015, segundo informações do diretor-presidente do projeto Marcelo Szpilman. O aquário multifuncional contará com 28 tanques, dois andares de visitação e oito mil animais de 350 espécies diferentes. A construção será o maior aquário marinho da América do Sul.

A previsão para receber o público é no fim de 2015 já que, segundo a Prefeitura, as obras do Veículo Leve sob Trilhos (VLT) irá terminar em meados do mesmo ano. Segundo Szpilman, o AquaRio vai proporcionar uma experiência inédita para os visitantes, a oportunidade de estudar o ambiente marítimo e a possibilidade de pesquisar sobre as espécies.

“Teremos uma pareceria com o Centro de Pesquisa de Biologia Marinha da UFRJ. Lá [no AquaRio] vamos realizar estudos sobre peixes de recife e de coral. Com isso, o Rio passa a ter um Centro de Pesquisas Cientificas com mestrados, doutorados e estágios na área”, comentou o biólogo.

As obras serão financiadas por empresas parceiras e patrocinadores. Segundo o diretor-presidente do Aquário Marinho do Rio de Janeiro, os custos serão bancados inteiramente por iniciativa privada.

Visitantes poderão ver tubarões Lambaru (Foto: Dviulgação/ Daniel Botelho)

Atividades para o público

Os visitantes vão contar com diversas atividades no AquaRio. A principal delas é o mergulho com tubarões. O público poderá ter contato com diversas espécies e mergulhar junto com peixes, tubarões e arraias. O maior tanque, chamado de O Recinto Oceânico e de Mergulho, onde a prática será praticada terá sete metros de profundidade e irá comportar 3,3 milhões litros de água. Apesar dos tubarões causarem medo nos visitantes, o diretor do projeto afirma que é um passeio seguro.

“São espécies completamente dóceis, não é uma ameaça de maneira alguma. A atividade será em um ambiente controlado, água clara e sem riscos”, disse Marcelo Szpilman.

Com uma tecnologia inovadora, o espaço contará com um aquário virtual onde o visitante cria um peixe virtualmente e o animal irá guiar a visita. A experiência acontecerá de forma interativa e o público poderá conversar com o peixe e até tirar dúvidas. Um espaço de realidade aumentada também estará disponível, onde as pessoas poderão aprender um pouco mais sobre as espécies.

Espécie Mangona também será encontrada no AquaRio (Foto: Divulgação/ Daniel Botelho)

Uma atividade voltada mais para o público jovem é a noite do aquário. Os visitantes poderão alimentar os animais, terão um jantar no aquário e irão dormir no túnel de acrílico onde poderão ver os animais. Além disso, o público poderá participar da rotina da equipe de manutenção do AquaRio.

Para visitar o Aquário Marinho do Rio, público pagará o valor de R$ 40,00(valor da inteira). Estudantes e funcionário de escolas municipais terão gratuidade.

Fonte: G1


Organizações lançam campanha pela conservação dos botos

O boto-vermelho (Inia geoffrensis) é comumente usado omo isca na pesca d
a piracatinga, no Brasil comercializada como “douradinha” - Foto: Divulgação

23/07/2014

Cerca de 2.500 botos são mortos por ano na Amazônia. 
Pesquisadores alertam para risco de extinção do animal.

A Campanha Alerta Vermelho, lançada oficialmente neste domingo (20), pretende arrecadar fundos em prol da preservação dos botos na Amazônia. A intenção da iniciativa é combater as atividades ilegais de caça e pesca, por meio do engajamento e participação ativa das pessoas, dentro e fora da região Amazônica.

O boto-vermelho (Inia geoffrensis) é utilizado como isca na pesca da piracatinga, que no Brasil é comercializado com o nome fantasia de “douradinha”. Estima-se que cerca de 2.500 botos são mortos todo ano, em determinadas regiões da Amazônia.

“A matança de botos para uso como isca na pesca da piracatinga chegou a limites insustentáveis. O boto-vermelho é um patrimônio Amazônico. Para aumentar o conhecimento das espécies envolvidas, apoiar as ações de fiscalização e promover a conservação desses magníficos animais, o engajamento e a participação da sociedade como um todo é imprescindível. O Alerta Vermelho convoca todos os seguimentos da sociedade para não permitir que o boto se torne apenas uma lenda”, declarou a chefe do Laboratório de Mamíferos Aquáticos do Inpa/MCTI, Dra. Vera da Silva.

Pesquisadores apontam que se o volume da piracatinga no mercado brasileiro continuar aumentando, e o boto ser a principal isca, esse golfinho poderá desaparecer em um futuro bem próximo.

A campanha Alerta Vermelho é uma parceria entre as organizações Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa) e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) e também propõem apoio a projetos de turismo sustentável com os botos e alternativas de fomentar a pesquisa.

Neste último domingo, o programa Fantástico da Rede Globo veiculou reportagem de mais de 10 minutos sobre a matança dos animais na região.

Medida oficial

Nesta segunda (21), medida publicada Diário Oficial da União pelo Ministérios da Pesca e Aquicultura e do Meio Ambiente proíbe a pesca da piracatinga em todo o território nacional por cinco anos. O objetivo é reduzir a matança de botos e jacarés, usados como isca para atrair cardumes de piracatinga.

A moratória, que começa a valer a partir de janeiro de 2015, abrange a pesca, a retenção a bordo, o transbordo, o desembarque, o armazenamento, o transporte, o beneficiamento e a comercialização da piracatinga (Calophysus macropterus). Por outro lado, a pesca de até 5 kg do peixe para fins únicos de alimentação do pescador e sua família ainda será permitida. 

Segundo o texto, os ministérios ficarão responsáveis por realizar estudos e avaliações, com objetivo de identificar técnicas e métodos ou alternativas produtivas ambiental, econômico e socialmente viáveis e sustentáveis para o exercício e controle da atividade pesqueira da espécie.

Saiba mais

O boto-vermelho  é o maior dos golfinhos de água doce do mundo. Os machos podem atingir até 2,5 m de comprimento e pesar 180 kg. As fêmeas atingem mais de 2,10 m e 100 kg de peso. Os filhotes nascem cinza, e tornam-se rosados com a idade. Machos adultos são mais rosados do que as fêmeas devido ao maior porte e pela intensa abrasão na pele causada por brigas intraespecificas. As nadadeiras peitorais são grandes e largas, e a nadadeira dorsal é longa e baixa.

Segundo informações da Ampa, a espécie é encontrada em todos os tipos de rios (água preta, branca e clara), nas bacias dos rios Amazonas, Orinoco e Beni/Mamoré. Alimenta-se principalmente de peixes e são geralmente solitários.

Além a importante ameaçada por ser utilizado com isca na pesca da piracatinga, a principal causa de mortalidade é a captura acidental nas redes de pesca. Mortes intencionais por pescadores acontecem eventualmente devido ao comportamento da espécie em retirar peixes das redes, causando estragos aos petrechos de pesca.

A destruição e alteração do ambiente pelo aumento das populações humanas, a contaminação dos rios por agrotóxicos e o uso de mercúrio nos garimpos para extração do ouro, também ameaçam este golfinho.


Coca-Cola Brasil lança linha de chás gelados sob a marca Leão Fuze


23/07/2014

A Coca-Cola Brasil apresenta, esta semana, a nova linha de chás prontos para beber da marca Leão Fuze, que chega a todo país trazendo o lançamento do Chá Verde. A nova bebida será oferecida para os mais de 60 mil clientes Vonpar no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina no sabor Limão Zero, com suco de fruta e sem adição de açúcares ou conservantes.

Além do Chá Verde, a linha de chás gelados de Leão Fuze será composta por Ice Tea e pelo tradicional Matte Leão – que mantém o mesmo sabor e as mesmas propriedades que contribuíram para que a marca fizesse parte do coração dos seus consumidores.

Os novos chás estão disponíveis em garrafas PET com design exclusivo da marca e gargalo mais largo, o que permite o aumento na percepção do aroma do chá durante o consumo. A linha de chás prontos para beber vem para completar o portfólio da marca, que foi apresentado aos consumidores ainda em 2013 através das versões para preparar em casa.

“A marca Leão tem expertise e tradição no mundo dos chás, especialmente no segmento de mate. Procuramos unir o que já havia de melhor no Brasil com a marca internacional de chás da Coca-Cola, trazendo a nova linha Leão Fuze”, explica Sergio Garcia, diretor de Marketing de Chás e Sucos da Coca-Cola Brasil.

Leão Fuze apresenta um portfólio diversificado de chás que vão desde o mate, passando pelos chás preto, verde e branco, até chás mistos de frutas e flores, entre outras ervas. Ao todo, são mais de 30 sabores de chás.

“Estamos proporcionando aos consumidores que se preocupam com bem estar e buscam produtos mais naturais, uma linha completa de chás que atende às suas expectativas. Assim, trazemos Leão Fuze com novas opções de embalagens e sem adição de conservantes”, acrescenta Garcia.  

Sobre a Coca-Cola Brasil
O Sistema Coca-Cola Brasil atua em sete segmentos do setor de bebidas não alcoólicas - águas, chás, refrigerantes, néctares, energéticos, repositores e lácteos, com uma linha de mais de 125 produtos, entre sabores regulares e versões de baixa caloria. Formado pela Coca-Cola Brasil e 10 grupos fabricantes brasileiros, emprega diretamente 66 mil funcionários, gerando cerca de 600 mil empregos indiretos. Os investimentos do Sistema Coca-Cola Brasil para 2014 serão de R$ 2,7 bilhões. No período 2012 a 2016, o total investido será de R$ 14,1 bilhões, 50% superior ao montante investido entre 2007 e 2011. A sustentabilidade é um compromisso da Coca-Cola Brasil e se reflete na forma como a empresa e seus fabricantes lidam com as pessoas e com o meio ambiente. O índice de uso de água da Coca-Cola Brasil, por exemplo, é um dos melhores do mundo: 1,87 litros de água para cada litro de bebida produzido - menos da metade do volume utilizado 14 anos atrás. Na reciclagem, a Coca-Cola Brasil desenvolveu, através do Instituto Coca-Cola Brasil, o programa Coletivo Reciclagem, anteriormente conhecido como "Reciclou, Ganhou" que, desde 1996 colabora para que o País seja um dos mais eficientes na reciclagem de materiais. Hoje, 98% das latas de alumínio e 56% das garrafas PET são recicladas. Para saber mais, visite os sites: www.institutococacolabrasil.com.br e www.cocacolabrasil.com.br.

Sobre a Vonpar Bebidas
A Vonpar Bebidas é franqueada da Coca-Cola e distribuidora da Heineken Brasil no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Fundada em 1948, a empresa possui três fábricas na região, em Antônio Carlos/SC, Santo Ângelo e Porto Alegre/RS, além de cinco centros de distribuição, em Blumenau, Joinville e Chapecó/SC, e Farroupilha e Pelotas/RS. A empresa é atualmente a quarta maior fabricante do Sistema Coca-Cola no Brasil, com participação de 10% do volume total de vendas no país. No território gaúcho e catarinense é líder absoluta do mercado de refrigerantes com 60,7% de participação de mercado (dados Nielsen consolidado de 2012).



São Paulo: Arrastão da Limpeza atende 24 bairros neste sábado

23/07/2014

A Prefeitura tem programado para este sábado, 26, mais um Arrastão da Limpeza, abrangendo 24 bairros da região Sudeste, nos arredores da Santa Cruz, chegando até o Parque Castelo, Jardim Noêmia, bairros São José, Espraiado, Veneza, Piratininga, entre outros. A secretaria de Serviços e Meio Ambiente, a partir dessa quarta-feira, inicia uma divulgação localizada na região, com carro de som percorrendo as ruas e pedindo aos moradores que façam a separação prévia dos resíduos inservíveis, que tem nos quintais e mesmo dentro de casa.

Esse trabalho é repetido todo o mês e tem o propósito de recolher os inservíveis em geral que, muitas vezes, indevidamente são atirados em terrenos baldios ou mesmo deixados nas ruas. Isso ocasiona problemas sérios nos sistemas de águas pluviais, comprometendo em alguns casos o asfalto e gerando até inundações, já que o lixo arrastado pelas águas acaba parado nas bocas de lobo.

A exemplo do que ocorreu no dia 5, deste mês, quando houve o último Arrastão, deverão ser mobilizados de 70 a 80 homens, que percorrerão as ruas recolhendo também pneus e lixo eletrônico. Essa operação é feita conjuntamente, com as participações da secretaria de Serviços e Meio Ambiente e as equipes do programa Cidade Limpa. Confira no quadro, a relação dos bairros que serão atendidos das 7h30 às 16 h, deste sábado, 26:


BAIRROS:

01) Bairro Castelo Branco

02) Bairro São José

03) Jardim Espraiado

04) Jardim Ângela Rosa e prolongamento

05) Jardim Cerqueira

06) Jardim Elisa

07) Jardim Noêmia

08) Jardim Santana

09) Jardim Samello Woods

10) Jardim Três Colinas

11) Jardim Veneza

12) Jardim Piratininga

13) Parque Santa Hilda

14) Residencial Colina do Espraiado

15) Residencial Jovita de Melo

16) Residencial Santa Emilia

17) Vila França

18) Vila Industrial e prolongamento

19) Vila Regina

20) Vila Samelo IV

21) Vila Santa Cruz

22) Vila Santa Rita e prolongamento

23) Vila São Vicente

24) Vila Scarabucci



Duke Energy investe R$7,3 milhões em Meio Ambiente

23/07/2014

Valor foi aplicado no período executivo 2013/2014, em pesquisa, conservação e recuperação ambiental na região

Recuperação do estoque de peixes, reflorestamento, monitoramento e controle de erosões e atividades de educação ambiental são alguns dos programas desenvolvidos pela Duke Energy na região da Bacia do Paranapanema, nos quais a companhia investiu o montante de R$ 7,3 milhões no período de atuação executiva 2013/2014. O detalhamento dessas iniciativas pode ser acompanhado no Relatório de Sustentabilidade que a concessionária de oito hidrelétricas ao longo do Paranapanema acaba de divulgar. O material está disponível para consulta na internet (www.duke-enrgy.com.br). 

Na área de pesquisa ambiental, a Duke Energy destinou R$ 1,2 milhão ao projeto que busca ampliar as informações sobre as espécies de peixes da Bacia do Paranapanema, auxiliando na atuação da companhia na conservação da biodiversidade. Dentro do programa de recuperação do estoque pesqueiro, a empresa realiza a soltura de 1,5 milhão de peixes de espécies nativas por ano, na região. 

Mais R$ 2,2 milhões foram destinados ao sistema de monitoramento das áreas próximas aos reservatórios da concessionária, com o foco de identificar os usos e ocupações. A empresa se preocupa em controlar as erosões e aplicou R$ 1,7 milhão nos trabalhos de prevenção e controle de processos erosivos. 

Dentro da proposta de sustentabilidade, R$ 2,1 milhões foram direcionados para a pesquisa de avaliação dos programas socioambientais promovidos pela Duke Energy, realizada in loco, entre as comunidades no entorno de seus empreendimentos. No período executivo 2013/2014, a empresa promoveu mais de 190 iniciativas que beneficiaram um público superior a 65 mil pessoas, de acordo com o Relatório de Sustentabilidade. 

Além dos investimentos em promoção ambiental, o documento traz informações de indicadores econômico-financeiros e sobre os investimentos em educação, esporte e cultura realizados pela companhia. 

"Entre os valores da Duke Energy está a comunicação clara, frequente e aberta com a sociedade. O Relatório de Sustentabilidade vem ao encontro desse desejo e compromisso de transparência com os públicos com os quais nos relacionamos", comenta a gerente-geral de Relações Institucionais, Ana Amélia de Conti Gomes, sobre a publicação do documento. 

Prêmio de Sustentabilidade 

Em reconhecimento à qualidade dos trabalhos desenvolvidos na área ambiental, pelo oitavo ano consecutivo a Duke Energy foi destaque no Prêmio Benchmarking, com dois projetos na lista das 32 melhores iniciativas de sustentabilidade brasileira. Na cerimônia, realizada no início de junho, foram premiados os projetos Circuito de Educação Ambiental em Áreas Verdes Urbanas, em 7º lugar, e Gibi Educativo, na 16ª posição. O Benchmarking é uma iniciativa brasileira, com abrangência e reconhecimento internacional, que tem o objetivo de difundir, fortalecer e incentivar a adoção das boas práticas socioambientais nas empresas e instituições do País.

Fonte: Assiscity


'Aviões' traz conscientização sobre o meio ambiente para as crianças

23/07/2014

O filme de animação da Disney Aviões 2 – Heróis do Fogo ao Resgate que estreia nesta quinta-feira, 17, no Brasil, vem cheio de referências à cultura local, com direito a citação de Beijinho no Ombro e tirada de Compadre Washington.

Na trama, o aviãozinho Dusty Voo Rasante foi impedido de competir em alta velocidade por causa de um desgaste. Por causa de um incêndio, ele acabou se transformando em um bombeiro voluntário que ajuda o caminhão de combate de incêndio Mayday a proteger a cidade.

Em seguida, Dusty vai em busca de treinamento e acaba no Parque Nacional Piston Peak, onde precisa provar que é durão, assim como o helicóptero Blade Ranger. Para isso o aviãozinho vai ajudar o grupo do parque a manter o fogo longe e também a cobiça do gerente do parque um SUV que visa os ganhos em detrimento da natureza local.

Como se vê o longa trata sobre a questão de manutenção do meio ambiente enaltecendo o heroísmo dos bombeiros e criticando o interesse exploratório particular.

Fonte: GCN


WWF lança a primeira edição do Festival de Curtas Ecológicos

Concurso cultural vai premiar os melhores vídeos sobre consumo e estilo de vida sustentáveis. 
Foto :Divulgação

23/07/2014

A ONG ambiental WWF-Brasil está promovendo um evento para conscientizar a população brasileira, estimulando as pequenas atitudes sustentáveis, que ajudam a diminuir os impactos e a pressão do consumo sobre os recursos naturais do planeta. Trata-se do 1º Festival de Curtas Ecológicos do WWF (Fest Curteco), onde serão divulgados vídeos com duração de 15 segundos a um minuto.     

Os vídeos serão avaliados conforme a originalidade, criatividade e pertinência, sendo que cinco serão premiados. O primeiro colocado ganha uma viagem para o Parque Nacional do Iguaçu, com acompanhante. O segundo e terceiro colocados ganharão um final de semana no Paraíso Eco Lodge, em Ribeirão Grande (SP), também com acompanhante.

Por meio desse concurso cultural, o WWF-Brasil quer que as pessoas compartilhem ações adotadas para reduzir a “Pegada Ecológica” e, dessa forma, ampliar o número de pessoas engajadas na causa ambiental. O objetivo é comunicar como nossos hábitos de vida cotidianos impactam diretamente na conservação do meio ambiente.

Para participar, basta que o candidato preencha o cadastro com os seus dados neste site, responda a cinco perguntas básicas sobre o comportamento socioambiental, faça o cálculo da sua Pegada Ecológica e mande o link do seu vídeo.

A seleção dos melhores trabalhos será feita por uma equipe técnica ligada à área ambiental e os vídeos selecionados serão submetidos a uma comissão julgadora composta por personalidades que adotam atitudes sustentáveis na sua rotina: Marina Person (apresentadora de TV), Renata Falzoni (jornalista e cicloativista) e Mara Mourão (cineasta). O trio vai avaliar todos os vídeos enviados até o dia 10 de agosto e os cinco ganhadores serão anunciados no dia 18 de agosto pela internet.

Mais detalhes sobre os prêmios, regulamento e outras informações estão no site, onde podem ser feitas as inscrições e o envio do link dos vídeos.

O que é a Pegada Ecológica?

É uma metodologia que avalia a demanda humana por recursos naturais renováveis com a capacidade regenerativa do planeta. É uma forma de traduzir a extensão de território que uma pessoa, cidade, país, região ou até a população do mundo todo utiliza, em média, para suprir suas demandas de consumo: produtos, bens e serviços. A ferramenta foi criada por pesquisadores da Global Footprint Network (GFN). 

Fonte: Ciclovivo


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...