Magazine Natureza e Paz

Modelo de negócio sustentável une marcas

Para Evelise Anicet Rüthschilling, uma das organizadoras do espaço, grifes 
unem forças e se complementam - MARCO QUINTANA/JC

19/09/2016

O Coletivo Viés - Moda Consciente, lançado na semana passada, reúne 13 marcas e oito pesquisadoras gaúchas, além da primeira loja multimarcas de moda sustentável do Rio Grande do Sul, a Shopcontextura - Marcas Sustentáveis. "Monitoramos as grifes, acompanhamos seus processos para validar a sustentabilidade. O diferencial é o crivo da universidade e a discussão teórica sobre a sustentabilidade. É muito rico", explica Evelise Anicet Rüthschilling, coordenadora do Núcleo de Moda Sustentável da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e uma das organizadoras do espaço.

A ideia foi criar um modelo emergente de negócios sustentável, um novo formato para divulgar e comercializar a moda sustentável no Rio Grande do Sul e em outros estados brasileiros. "Uma marca não compete com a outra. Elas se complementam, somando forças e criando novos paradigmas", diz.
Conforme Evelise, tudo começou durante o Fashion Revolution Day, evento mundial de moda sustentável que visa chamar a atenção para os processos de desenvolvimento que envolvem a indústria da moda. Em Porto Alegre, ele ocorreu em abril e mobilizou faculdades de moda e marcas de todo o Rio Grande do Sul, convidadas a participar de uma exposição. "Para nossa surpresa, surgiram 18 marcas de moda sustentável. O encontro foi insuficiente para discutirmos o tema. Foi então que criamos um evento informal para reunir todos os envolvidos. E destes encontros surgiu o Coletivo Viés", diz.

A diferença entre a moda sustentável e o slow fashion

Moda sustentável: "Está dentro do conceito de desenvolvimento sustentável e em todas as etapas valoriza o meio ambiente, as pessoas, a cultura, a economia. Percebemos nela o exercício da cidadania, uma mudança de caráter. Podemos trabalhar com a economia solidária e criativa."

Slow fashion: "É uma moda contrária ao fast fashion, é produzida em menor escala e propicia o controle de quem a faz. O slow fashion é uma das estratégias da moda sustentável, tem transparência do processo. Para a moda ser slow, há vários critérios e cuidados, como o compromisso de moda ética, responsável e solidária, sem exploração."

As marcas do Coletivo Viés

A Nume é especialista em moda feminina em tecidos de origem vegetal 
CARLOS SILLERO/DIVULGAÇÃO/JC

Apoena: Bolsas com fibras de folhas de butiá e tecidos ecológicos
Aurora: Moda feminina e acessórios de lã natural
Brick de Desapegos: Feira itinerante de brechós e moda sustentável
Capim Lab: Moda feminina e acessórios com tecidos de reuso, reciclados e algodão agroecológico
Clau Stampas: Moda sustentável com identidade afro-brasileira
Contextura: Moda feminina e masculina com reaproveitamentos de materiais em colagens têxteis
Devaneio: Papelaria e acessórios com reaproveitamento de couro, papéis e tecidos
Envido: Moda feminina com tecidos reciclados, orgânicos e biodegradáveis
Matiz: Peças genderless para bebês em algodão orgânico
Nume: Moda feminina em tecidos de origem vegetal
Preza: Óculos de madeira feitos à mão
Sueka: Camisas e camisetas em algodão e algodão orgânico
The Blue Crafters: Camisetas e vestidos em algodão orgânico

Golden Center lança editorial de verão

Looks da nova coleção servem tanto para o trabalho, quanto para um happy hour no final do dia 
WESLEI TOREZAN /DIVULGAÇÃO/JC

A essência street que move os dias ensolarados e quentes das grandes cidades foi a tendência escolhida para a campanha de verão do Golden Center Shopping Atacadista, de Farroupilha. Fotografado no Hotel Laghetto Moinhos, em Porto Alegre, o editorial revela as apostas das marcas que fazem parte do shopping para o estilo urbano.

Nos looks que vão do trabalho a um happy hour no final do dia, as produções apresentam uma ampla opção de tecidos, cores e acessórios para compor um visual moderno e confortável. O blazer aparece como peça-chave em tons claros, as t-shirts divertidas continuam em alta para dar um ar despojado aos looks mais formais, estampas étnicas e florais prometem chamar a atenção nas ruas e a renda continua clássica para aquele toque feminino.

Agenda

O Passarela de Negócios, projeto criado com o intuito de integrar e fomentar o networking entre empresárias e lideranças femininas locais, estreia em Bento Gonçalves no dia 26/9, das 18h30min às 21h30min, no Centro da Indústria, Comércio e Serviços (CIC), localizado na Alameda Fenavinho, 481. Para participar, o investimento é de R$ 80,00. Informações e inscrições podem no site




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário e pela sua visita.
Volte sempre!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...